segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Divagação




tangenciando o olhar a vida enrola-se no frio e amplia-se neste sol de quase inverno doirando nos edifícios todas as promessas.

distendo a visão e deixo que a calma desta manhã seja a pauta onde alinharei o meu dia. surgirão sons dissidentes mas na semi-colcheia da loucura redesenharei na pauta os seus lugares - maestro atento e criativo.

hoje está sol e eu quero intervir nas horas da minha vida - para trás tudo e todos que queiram despentear a harmonia da minha composição.

CARPE DIEM!

4 comentários:

Mar Arável disse...

Seja como for

tudo pelo melhor
neste inverno prolongado

e descontente

Bjs

mfc disse...

Tudo corrijirás... assim o desejo!

heretico disse...

... e nessa (des)ordem distendida os sons dissidentes se fazem harmonia. na textura do poema.

belissimo.

beijo

© Maria Manuel disse...

aproveitar o que ainda é belo e natural e humano em nós.

beijo, Helena, e votos de Boas festas e um Bom Ano Novo,

Maria Manuel