domingo, 18 de novembro de 2012

Diurnos



Para além da sombra existia o sonho num horizonte onde as cores eram claras e o caminho não acinzentava o veludo da manhã.

Soprava o vento no sorriso que nenhuma amarra quebrava. Só o fogo era vida e incerteza.

Humilde postura onde voltara a recriar-me.

4 comentários:

Ad astra disse...

amarras resistindo ao vento contrário

Luis Eme disse...

vamos lá pelos sonhos... e com a ajuda do vento.

heretico disse...

fogo crepitante...
que ganhe asas de vento!

Mar Arável disse...

Ainda existem muitas asas

no vento