segunda-feira, 6 de junho de 2011

Cabotagem





quando o mar se apresentar
incorporará sal e lendas
ainda a forma
dele ressaltarão os cânticos
das ondas e das criaturas
que o habitam
aí farei chão e casa
e o local de todos os concílios.
serei barco
e na lenta cabotagem da deriva
aportarei no meu farol
onde captarei o infinito.





HFM - Lisboa, 25 de Maio de 2011



3 comentários:

fernanda s. monteiro disse...

Gostei muito de ler. Soube-me a mar e sal..

Ad astra disse...

uum verdadeiro cântico

lindo!

mfc disse...

Uma forma linda de discorrer e sentir!