segunda-feira, 9 de abril de 2012

À Espera


da net


Há um ritmo secreto
no vento que vira as folhas
dos dias
um ritmo com sons de jazz
trompete destacando
das horas os minutos
numa pauta sem símbolos
onde os sons são
do tempo a erosão

colcheias fustigando-se
numa clave desconhecida.


HFM - 21012

4 comentários:

Ad astra disse...

que beleza de poema


sente-se a melodia

Ana disse...

Esse é o ritmo da poesia

mfc disse...

Uma música ininterrupta!

heretico disse...

na vibração de um tempo atónico...

gostei muito.