quinta-feira, 23 de maio de 2013

Da harmonia




Na quietude esbranquiçada da manhã
a calma envolve-me
nas palavras do livro que dedilho
vidra-se-me no olhar o oceano
e a ternura da brisa
ondulando o canavial
respiro vida e dessedento-me
na natureza verde azul que me circunda.

HFM - 22 de Maio de 2013 - Ericeira

5 comentários:

Luis Eme disse...

que bem que sabem as palavras da Helena.

nestes tempos tão pouco dados à calmia...

abraço

António Baeta disse...

Contemplativa.

A aguarela parece identificar o poema :) e esse recurso estético do livrinho aberto fica-lhe muito bem.

Gostei muito, cara amiga.

ad astra disse...

envolvo-me nas palavras pintadas com cores de sonhar

Mar Arável disse...

,,, entretanto...
chamar palhaço
ao Cavaco
faz-me rir

heretico disse...

serena comunhão da natureza.