sexta-feira, 19 de agosto de 2011




porque o caule é aforismo viro-me para a floresta onde o silêncio é o murmúrio mais certo das palavras por verbalizar. acordes que só aos iniciados se revelam. a brisa sorri a juzante da intempérie.




HFM - Agosto 2011



4 comentários:

Ad astra disse...

há sempre uma brisa que sorri

bettips disse...

Como gosto do verde musgo,
dum cantar de água.
Não da humidade das palavras antigas

e mortas e despidas de esperança
(o apontamento era sobre a parede e as letras, por influência dos...cogumelos)
Bjs

Justine disse...

Assim se escuta a natureza: poeticamente...

heretico disse...

vibrante. como a poalha doirada do sol. por entre as sobras...

beijo