sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Desculpem, estamos a falar de que tempo?



O tempo flutua intocável
só ele existe
não se apreende
errante
galga
passado presente futuro
como um cometa que passa
sempre com outro rumo.

HFM - Lisboa, 23 de Janeiro de 2012

7 comentários:

jrd disse...

Do Tempo de não ter tempo...

heretico disse...

a voragem do tempo... dentro do Tempo.

beijo

mfc disse...

Daquele tempo que nos conta todos os passos!

Ad astra disse...

os misterios do tempo


tempo que ignora o tempo

Luis Eme disse...

é verdade, que "voragem", Helena. :)

Teresa Durães disse...

o tempo que passa esquivo entre os dedos

J.T.Parreira disse...

Helena, bom Ano 2012.
Como diria a Poeta que faleceu ontem, a Szymborska, num poema: "Quando pronuncio a palavra Futuro a primeira sílaba já pertence ao passado."