terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Sem título

Na turbulência das horas
paira ainda a quietude



só a visão periférica a alcança.





HFM - Lisboa, 30 de Dezembro de 2011

7 comentários:

jrd disse...

Da memória recente.

Abraço

heretico disse...

quietude em ondas de choque. como ansiedade adiada...

beijo

Luis Eme disse...

sim, algo vai acontecer, Helena.

ma grande folle de soeur disse...

Mais un belo haiku. :)

Licínia Quitério disse...

Que algo de muito bom te aconteça, Helena. Bom Ano!

mfc disse...

É um tempo de recolhimento...!

Ad astra disse...

a turbulência das palavras calmas