segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Dos dias


do blogue Chromaesthesia

são farrapos de linho
na leveza da manhã
que o frio cose
e a ternura dedilha

verbos intransitáveis
que o tempo conjuga.

HFM - 13 de Fevº de 2012

6 comentários:

Teresa Durães disse...

que ternura!

Licínia Quitério disse...

Da leveza dos verbos que dizes "intransitáveis". Gostei muito.

Ad astra disse...

leve como o linho

imagem e poema

jrd disse...

Impressão digital.

Abraço

heretico disse...

sopro dos dedos. belo...

beijo

Mar Arável disse...

Um poema

dedilhado