terça-feira, 8 de maio de 2012


Lisboa encolhe-se na sua grandiosidade. Não se revela. Hesita. Gagueja. Atormenta. Ultrapassado o filtro com que se cobre Lisboa é luz, sombra, beleza, sol, rio, mar, colinas, miradouros, jardins, monumentos e aquele desleixo com que gostam de a vestir.

Lisboa é um labirinto onde o olhar se perde e o prazer se apruma.

É a minha cidade e, pondo de lado o desleixo, as obras, a porcaria, é uma das mais belas cidades europeias.

Uma cidade única - facciosismo à parte!


HFM - Lisboa, 7 de Maio 2012 

7 comentários:

Luis Eme disse...

é única, mesmo, Helena.

como gosto de me perder pelas ruelas dos bairros antigos e espreitar os miradouros.

Licínia Quitério disse...

Também penso assim. E a luz que as pedras e as águas refletem é singular. Quero dizer que é uma luz feliz.

jrd disse...

Lisboa perto e longe. A nossa cidade. Sempre!

Não me esqueças.... disse...

Lisboa saudade. Subscrevo.

heretico disse...

Lisboa, menina e moça! sempre...

beleza. texto e foto...

beijo

Ad astra disse...

Lisboa e a sua luz única

Reflexo d'Alma disse...

Lindo aquii=!
Passa la pra uma pouco mais de poesia.
Bj