domingo, 2 de agosto de 2009

Sem título


Quebra-se na onda o mar
espuma branca de ti

cisterna que não se esgota.

HFM - Ericeira, 2 de Julho de 2009



6 comentários:

Licínia Quitério disse...

Infindável o mar de amar.

Beijo.

jrd disse...

Sede de todos os dias. Eterna.
Abraço

mariab disse...

nunca termina essa sede. a(mar) não tem fim.
beijos

Ad astra disse...

enrolam-se sonhos na espuma

infindáveis....

heretico disse...

Poesia. Pura...

Simone Huck disse...

boca ávida, sempre.
Lindo.