quarta-feira, 29 de abril de 2009

Sem título


bastava só um vestígio
ténue
na distância
e a pele estremeceria

um lampejo
um fulgor de felicidade

tanto mar se agigantaria.

HFM - Lisboa, 18 Abril 2009

7 comentários:

Simone Oliveira disse...

Bastava só um olhar que pudesse traduzir as palavras engolidas...

Bom ser a primeira a comentar.

maria m. disse...

um lampejo de palavras, uma bela poesia.

fred disse...

Belo poema, Helena.
Beijos

Teresa Durães disse...

as pequenas coisas que nos despertam podem nos levar a grandes voos

Ad astra disse...

e por vezes bastam as palavras...


você anda mesmo inspirada :)


Um beijo (grande)

jrd disse...

Um espanto!
Abraço

Márcia disse...

puro encantamento.
um beijo.