sábado, 4 de abril de 2009

Sem título


no teu sorriso
abrem-se girassóis

oceanos de ternura!

Lisboa, 3 de Abril de 2009



17 comentários:

J.T.Parreira disse...

O afastamento do último verso não faz esquecer o haicai.
J.

Ana disse...

Assim, tão simples e tão belo.

Justine disse...

Para quê mais palavras??

jrd disse...

Nas ondas dos girasóis.
Abraço
bfs

Paulo - Intemporal disse...

gostei.muito.e.volto.sempre.

um abraço.

mariab disse...

a beleza da simplicidade. está tudo dito.
beijos

Ad astra disse...

abençoado seja, sorriso assim te inspire...

vida de vidro disse...

Infinitamente terno é este poema. O essencial, só. **

Mar Arável disse...

mARES NAVEGÁVEIS

Licínia Quitério disse...

Há sorrisos assim. E tu os sabes ver.

Beijo.

maria m. disse...

belíssimo!

Graça Pires disse...

O mais difícil é ser simples. Conseguiste Helena, com toda a beleza. Um beijo.

~pi disse...

circu-l-ando ternura! :)




beijo




~

Luis Eme disse...

há sorrisos "girassóis", sim senhor, Helena.

às vezes diz-se tanto com poucas palavras...

abraço

heretico disse...

sorrisos assim. onde apetece mergulhar.

beijos

Pico minha ilha disse...

_??___??
_??___??_________????
_??___??_______??___????
_??__??_______?___??___??
__??__?______?__??__???__??
___??__?____?__??_____??__?_____
____??_??__??_??________??
____??___??__??
___?___________?
__?_____________?
_?____?_____?____?
_?____/___@__\\___?
_?____\\__/?\\__/___?
___?_____W_____?
_____??_____??
_______?????
Um abraço com votos de uma Santa Páscoa.Beijinhos

bettips disse...

Oceanos de risos desdobrados
nas ondas que te vemos,
como se
desenham as árvores de Itália.
A dor imponderável do destino,
como se
uma folha que se passa à frente.

(isto são coisas que me calham, tal qual as olho e sinto, quando consigo ouvir a voz sincopada e tão grave, do silêncio)
Bj