quarta-feira, 21 de julho de 2010

Na bruma duma manhã de Julho






viajante perdida sem bússola
afastei-me do norte
roubada que fora a estrela polar

sobrou-me o mar
as ondas e o cantochão

em terra firme
vou soletrando labirintos.

HFM - Ericeira, 8 de Julho de 2010



8 comentários:

Ad astra disse...

sem bússola, mas com uma inspiraçao

de certeza roubada ao mar.

Graça Pires disse...

Os labirintos de uma manhã de Julho mostram os jogos de luzes nos olhos da noite...
Um beijo, Helena.

jrd disse...

E encontrando caminhos.

heretico disse...

pelos labirintos caminhamos. sem outras bússolas que não seja o marulhar das ondas...

belíssimo

beijos

Ana disse...

Poema das brumas da Ericeira! Inspiradoras!

João disse...

Sem bússola, ainda assim resta-nos a audição.
Abraço
J.

J.T.Parreira disse...

Sem bússola, ainda assim resta-nos a audição.
Abraço
J.

António Baeta disse...

"... soletrando labirintos...".