sexta-feira, 19 de novembro de 2010



Quando te falar do sal do tempo
as brumas terão corrido junto ao mar
num acervo de trajectos efémeros


uma orgia de cellos
na espiral dos murmúrios.


HFM - Lisboa, 17 de Novembro de 2010



6 comentários:

Ad astra disse...

o tempo, sempre ele

embrumando o trajecto

jrd disse...

Na fímbria das marés...

ma grande folle de soeur disse...

Muito Belo :) beijos

S.C. disse...

Não sou da família dos apoiantes da "depuração", nem da dos apologistas da "raça". Qualquer ideia social fascista me é adversa, por essa razão deixo aqui este momento.

AMOR SIM, GUERRA NÃO.

nato: basta. a guerra é assassina.
pela paz.

J.T.Parreira disse...

"uma orgia de cellos
na espiral dos murmúrios."

Murmúrios e cellos coloridos.

maria manuel disse...

da passagem do tempo e da efemeridade das marcas que vai deixando... belas as imagens, as brumas, os cellos, os rumores dos nossos sentidos viajando em espiral com o tempo.

beijo.