segunda-feira, 10 de janeiro de 2011




acolho em mim o silêncio
faço-o casa, rio, motor
nele me acoberto
com palavras e sons
por retábulo


eterna peregrina errante!

HFM - Lisboa, 10 de Janeiro de 2011


8 comentários:

jrd disse...

Quando o silêncio nos leva. Vamos, vamos, vamos...

António Baeta disse...

E eu ouço, nas tuas palavras, a reverberação dinâmica desse acolhimento.

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes o silêncio é o maior ruído de sempre.

poesia em retabulo de cores.

gostei muito.

uma boa semana.

um beij

Ad astra disse...

"Um silêncio
onde a tua alma se embrulha"

Mar Arável disse...

Também conheço este silêncio
mas não o prendo

Licínia Quitério disse...

O silêncio é a companhia do peregrino. O claustro é belíssimo.

Teresa Durães disse...

também de silêncio me rodeio. e nele ouço as vozes

maria manuel disse...

o silêncio onde escutamos a nossa voz, que nos conduz a peregrinação errante da vida.

belo, Helena.