quarta-feira, 13 de abril de 2011



Yik Yuet Sek


olhar-te-ei sempre
por entre os póros da ternura
num lugar breve sem destino.


HFM - Lisboa, 10 de Abril de 2011

9 comentários:

Márcia Maia disse...

dibworbelo, Helena. belo.

1beijo daqui.

Giovanna disse...

Belíssimo...poesia e fotografia e me fez lembrar o momento em que apaixonei pelo meu marido, numa tarde sem compromisso, enquanto eu fotografava flores de inverno... e o destino se encarregou de preparar o encontro... Abraços, Giovanna

Ad astra disse...

eternidade breve

Lindo mesmo!

Graça Pires disse...

Um amor eterno? Muito belo!
Beijos, Helena.

jrd disse...

Que ternura!

Mar Arável disse...

Todos os amores são eternos

se os conservarmos na memória viva

Simone Huck disse...

Alguns olhares serão eternos.

Mel de Carvalho disse...

Aprecio sobremaneira esta forma de, com poucas palavras, dizer tanto.

Serena Páscoa
Gratidão na Partilha

mfc disse...

A constância de quem olha diferente.