segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

na manhã de sol

corta as mãos o frio

sinais de vida.

16 comentários:

fred disse...

sinais que ficam
vieram pelo mar
na brisa

Rui Afonso disse...

Quão adequado.

Boa semana!

Teresa Durães disse...

em poucas palavras, a beleza

J.T.Parreira disse...

Sempre a grande contradição que a poesia encerra, mesmo nas coisas simples como uma manhã de sol com frio.
Helena, estou muito grato pelo comentário generoso que deixou a propósito do poema "O Poeta no Desemprego".
Abraço

Graça Pires disse...

Numa manhã de sol apetece ser feliz...
Um beijo Helena.

Susana Barbosa disse...

É mesmo Helena!
Boa semana

Luis Eme disse...

sinais do Inverno Mediterrâneo...

abraço Helena

jrd disse...

Mesmo que apenas perdurem no calor da memória.
abraço

mfc disse...

Um sinal de como a vida custa!

Justine disse...

Sintético, cristalino e muito belo
(e verdadeiro)

mariab disse...

palavras transparentes. belas.
beijos

M. disse...

e foi tão bom voltar a vê-lo após o cinza de tantos dias. e aqueles pedaços de azul

de sol de esperança


*

Bandida disse...

aquece. aquece. aquece a vida.




beijo, Helena!

ma grande folle de soeur disse...

Mais um para a série haïku. Muito bom. :)

Ad astra disse...

a vida nas mãos

pelas tuas mãos

sinais de sol...

maria m. disse...

conciso e belo!