quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Um bem velhinho

para sempre Fernando Pessoa



eu...
qual eu?
como eu se não existo?
sou um átomo apenas
uma conjugação de factores
agregadores
eu?
onde?
na outra ou em mim?
eu plenipotenciária
de mim mesma
criadora e não autora
contudo, sonhadora,
visionária
não do V Império
mas do mistério
que há em mim e na outra.

HFM - in Resist(ir) Assim, Poesia a Doze, Editorial Minerva, 2000

9 comentários:

Mar Arável disse...

De facto

qual eu?

J.T.Parreira disse...

Helena, onde quer que estejas, como Pessoa disse: «Deus não tem unidade como a terei eu?».
Um abraço
João

Pico minha ilha disse...

Será que o eu existe?
Beijinho

maria m. disse...

as interrogações do 'eu', o V Império,... «para sempre Fernando Pessoa»

jrd disse...

ou...
a outra que era eu?

Um abraço para aí

mfc disse...

E continuamos a surpreender-nos cnnosco!
E tu surpreendes-me agradavelmente sempre.

heretico disse...

belíssima passagem. na ponte. que existe. entre tu e a "outra"...

beijo

Ad astra disse...

entre o teu eu e o teu eu

sonham os átomos de outros eus

Bandida disse...

nada.



um beijo enorme!