terça-feira, 26 de maio de 2009

Na torre do holocausto



só o som do vazio
estranha presença
vinda das entranhas

mão de ternura.



Berlim, 16 de maio de 2009

14 comentários:

maltes disse...

Tão simples e tão bonito.

Licínia Quitério disse...

Impressionante arquitectura.Também das palavras que a dizem.
Beijo, H.

~pi disse...

ai

pequena

luz

por onde

me parto,





~

vida de vidro disse...

beleza rigorosa das palavras e da foto. **

Teresa Durães disse...

o vazio é um corpo paciente

heretico disse...

beleza que comove...

beijos

Ilidio Soares disse...

Belo porque simples. Ou vice versa. Não importa o comentário. O que vale é o recheio desse vazio. bjos

jrd disse...

... de silêncio cheio.
Abraço

Mar Arável disse...

Memória de luzes

pardas

que não se apagam

maria m. disse...

bela essa ternura.

Ad astra disse...

extraordinária esta fotografia

o texto convida a um momento de silêncio...terno

mariab disse...

simplicidade de extrema beleza nas palavras e na imagem. beijos

addiragram disse...

Bela e sentida forma de dizer a dor.

Ad astra disse...

quanto masi olho esta foto mais pasmo!