domingo, 28 de junho de 2009


Na viagem do tempo encontrei resinas, folhas brancas, madeiras e uma ponte desconstruída no tempo. Seria coincidência? Ou tão só um acelerado sentimento conduzindo ao infinito? Memórias. E aquele momento em que o fogo em vez de destruir constrói.

Ericeira, 27 de Junho de 2009



6 comentários:

Ad astra disse...

incendio de palavras

avassala(dor)

~pi disse...

o fogo limpa

o fogo

ar-de,




~

Luis Eme disse...

coincidências felizes que nos fazem viajar no tempo...

abraço Helena

Teresa Durães disse...

a ponte a falar-nos de um tempo antigo. o passado recente. onde o fogo o aviva

maria m. disse...

a memória (re)construindo instantes...

heretico disse...

esse o fogo que vale alimentar...
beijo