sábado, 19 de setembro de 2009



HFM


Rente, rente à portada de vidro corria o pequeno terraço. As estrelas ecoavam no silêncio da intensidade do seu brilhar. E os olhos percorriam-nas imitando as crianças na descoberta de novas fantasias. O mar espelhava-se, ao lado, no silêncio do seu respirar que a lua orquestrava. Havia ainda as mãos bailando sinfonias. Clarificava-se na noite o dia. E os olhos eram frestas por onde se soltavam melodias.

Da simplicidade se fazem os dias de bruma e de luar. De certezas o mar se afirma.

Ericeira, 18 de Setembro de 2009

6 comentários:

J.T.Parreira disse...

Helena, bem-regressada. O regresso às brumas de Setembro e à portada de vidro do poema-prosa.
J.

jrd disse...

Música(s) de mar em cenário de lua e bruma.
Abraço

Ad astra disse...

escrito nas estrelas...

pura melodia

heretico disse...

marulhar das horas. sobre o mar espelhado nas estrelas. e no luar...

belo.

beijos

Mar Arável disse...

Não direi certezas

mas fortes convicções

addiragram disse...

Não sei o que goste mais...as palavras? a imagem? Um todo "perfeito".