sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Da mudança


passada a tempestade
na ausência dos sorrisos
com a terra sem raízes
e secos os poços
toldaram-se-me os olhos

reconheci-me na imagem das árvores
mortas.

HFM - Lisboa, 13 de Agosto de 2010



7 comentários:

jrd disse...

Mortas, desnudadas, mas de pé!
Abraço

J.T.Parreira disse...

"passada a tempestade
na ausência dos sorrisos".
O começo da mudança...
Gostei, Helena.

Márcia Maia disse...

esse verso final a chega a doer.

beijo daqui, amiga.

formaxima.com disse...

Helena passei para conhecer seu blog ele é not°10, show espetacular desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom
Ass:Rodrigo Rocha

Anónimo disse...

Também eu choro
árvores
gente
bichos.
Tão sós.
Perseguidos.
Bjs da Bettips

heretico disse...

doi tanta aridez. fumegante...

beijos

Ad astra disse...

tolda-se-me a alma