segunda-feira, 21 de março de 2011

De regresso

Mas ainda devagar por isso deixo apenas o único poema que escrevi em Londres prometendo que, em breve, falarei sobretudo das exposições que por lá vi - Londres no seu melhor.



Quando na cor a luz se envolve
sobram cantatas
nos contornos da harmonia

arco íris de estética
na manhã de sol londrina.

Londres, enquanto aguardava a entrada na Courtauld Gallery, 14.03.2011

7 comentários:

António Baeta disse...

"na manhã de sol londrina", a contrariar a ideia feita de Londres chuvosa e fria.

jrd disse...

Vinda de um sol diferente, que bom lê-la de novo.
Abraço

jorge vicente disse...

e a luz cobra
e enche os poemas
que desta

cidade vivem.

um abraço
jorge vicente

O Puma disse...

Bom regresso

Abraço

mfc disse...

Gosto do ar límpido depois da chuvada, que li no teu poema.

© Piedade Araújo Sol disse...

o solem Londres é morno.

bom regresso.

beij

Ad astra disse...

lindo o poema!