quinta-feira, 28 de julho de 2011

2º Simpósio Internacional de Urban Sketchers em Lisboa




Em boa hora fiz parte deste Simpósio que foi uma lição a vários níveis até a mostrar que, quando queremos, sabemos organizar e ser acolhedores. Foram dias de conhecimentos, reconhecimentos e muitas aprendizagens. Fica um poema feito no último dia.



ORQUESTRA

o gesto e a mão
deambulando no ar
cumprem na linha
o volume

no espaço
a atenta batuta do maestro
de seu nome - olhar.


HFM - 23 de Julho de 2011


6 comentários:

Ad astra disse...

sem dúvida que deve ter sido uma experiencia gratificante

e as palavras do poema dizem tudo

mel de carvalho disse...

é o nosso olhar, único e singular, que devolve ao outro a pluralidade de si

"no espaço
a atenta batuta do maestro".

Helena, grata pela batuta com que nos conduz. Abraço

Mel

Justine disse...

São apenas alguns gestos - solidários, participativos, de trabalho comum - que nos tornam humanos e melhores!
O poema confirma-o...

J.T.Parreira disse...

Helena, criou um Maestro, o olhar; na poesia como no desenho ou na pintura: olhamos. Antes, vemos o invisível; depois a criação em devir.Interessante este Movimento de ir desenhando as cidades dia-a-dia, como um diário gráfico.
Gosto do poema.

heretico disse...

filigrana. pura.
luminoso olhar. o teu

beijo

Luis Eme disse...

e que belos olhares, Helena.