quarta-feira, 8 de julho de 2009

Sem título

os dedos prendem as cerejas
como numa prece


inquieta-se a boca.

HFM - Lisboa, 24 de Junho de 2009




18 comentários:

Ana disse...

O sabor das palavras.

jrd disse...

Na espera da elevação do gesto.
Abraço

~pi disse...

húmida de

gesto(s





beijo






~

Teresa Durães disse...

desejo não consumido? mas com esperança

Ilidio Soares disse...

De minimalista sua poesia não tem nada. Cada palavra me invade,me decanta e me encanta enormemente.abçs

heretico disse...

e a boca então persegue o gosto...

beijo

Ad astra disse...

e um amén murmurado

J.T.Parreira disse...

Um crítico desses que põem «portagens» nas métricas diria: não é um haicai. Eu digo, é mais do que um haicai, é uma suspensão da imagem para sempre.
Abç
J.

Isabel disse...

H. fico sempre maravilhada com as tuas tão poucas/imensas palvavras!


genialidade da síntese....que me deixa sempre com vontade se silêncio. Supremo!



obrigada. e o meu melhor abraço.


sempre.

mariab disse...

palavras suspensas. como o desejo. belo.
beijo

addiragram disse...

Lindíssimo!

Mar Arável disse...

É o desejo infinito

das cerejas

cláudia disse...

também um lugar inquieto, este teu lugar, Helena :)

Bandida disse...

sublime!!


um grande abraço, Helena!



p.s. recebeste o convite para a "ira"?....

Luis Eme disse...

é verdade...

numa sucessão de gestos, até restarem apenas os carocitos...

abraço Helena

ma grande folle de soeur disse...

Excelente. bjs

maria m. disse...

belíssimos estes versos, perfeita composição.
adorei!

AL-Chaer disse...

cLAp cLAp cLAp

Muito Bom !!!

AL-Braços
AL-Chaer

pêésse: Bem-vinda à nova casa !!!