segunda-feira, 20 de julho de 2009

Sem título

nos teus dedos a serenidade das horas
o fragor do mar e de todos os rios


contornos de infinito.



HFM - Lisboa, 25 de Junho de 2009

7 comentários:

~pi disse...

dissolvida a linha

do horizonte,

a eternidade,

a

l

i



~

jrd disse...

Os dedos nos dedos,
cúmplices segredos.
Abraço

Teresa Durães disse...

e na serenidade das horas, a maré nos seus ciclos perpétuos

Graça Pires disse...

o infinito no olhar quando a vida é sempre uma descoberta.
Um beijo Helena.

Mar Arável disse...

Mais leves

que os dedos

em pleno voo

Ad astra disse...

infinitamente...

maria m. disse...

sempre as águas, no fluir do tempo.