sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Sem título



no arrepio da mão
acendem-se as palavras
clareia.

Lisboa, 20 de Novembro de 2008


14 comentários:

Teresa Durães disse...

e as frases soltam-se criando um universo muito próprio

Justine disse...

Uma pequena pérola de brilho suave,esperançoso - assim o teu poema!

Carla disse...

acendem-se as palavras com a beleza da imagem
beijos e bom fds

VFS disse...

trémulo, o verbo é.
fugaz, a criação, expressa-se.

adoro o calor desta luz!

Obrigado.

O Intelectual Distraído disse...

Queria descrever
as letras
o choro
as sombrias definições
da paixão
fique bem

Maria disse...

meia dúzia de palavras com TUDO dentro!

fred disse...

Belo, Helena.
Beijos

bettips disse...

De mãos paradas
na pérola da madrugada.
Bjinho H

Era uma vez um Girassol disse...

Há sempre luz nas palavras que escreves...
Há festa no girassol, não faltes!
Beijinho da flor

Luis Eme disse...

é verdade, Helena...

mfc disse...

A palavra entardece também é bonita e sinto-a mais.

jrd disse...

Terna é a madrugada.
Abraço (do frio)

vida de vidro disse...

As tuas palavras são de luz. Bem acesa. **

isabel mendes ferreira disse...

beijo e beijo e beijo e beijo e beijo e beijoooooooooooo!!!!!




oh H.


______________que prazer regressar-
TE.