terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Diurnos


Só o sopro acalmando a secura e o som de Boccherini alargando no ar os sons.

Assim se pacificam as manhãs de frio. Assim se percorrem as estradas desconhecidas. Os atalhos e os não caminhos.

7 comentários:

~pi disse...

amniotica

[ mente





~

Lucia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ad astra disse...

Boccherini...como gosto!

"em silêncio grita um cello"

Licínia Quitério disse...

A música a abrir caminhos de paz por entre o frio. Bonito.

jrd disse...

Porque também o virtuosismo nos aquece.

Fred Matos disse...

E percorro as rotas da tua poesia.
Beijos

heretico disse...

os atalhos, que os caminhos são desabridos...

beijo