sexta-feira, 1 de janeiro de 2010




Quando a loucura passar pelo olhar não haverá problemas.

Quando a loucura passar pelos factos problemas não haverá.

Agora se te situares no plano inclinado ou na esquina onde o vento seca na pele os lábios, então prepara-te; por aí surgirão os problemas. A loucura invadirá sorrateiramente os escaninhos da tua memória e construirá, malgré toi, uma estrada de lava que não dominarás, onde o sol não se põe, onde o fogo domina sem queimar, onde o vento seca nos lábios as palavras prometidas, onde os rostos se apagam na sede da visão, onde a presença é a constante do exílio. Sofre, então, em silêncio. Ninguém resgatará as tuas dores. Ninguém adoçará os momentos mais duros. Ninguém saberá onde reside a tua alma.

Mas, se apesar de tudo, conseguires dobrar a esquina e subir o plano inclinado então, amor, o mundo é teu e poderás recomeçar.



Lisboa, 1 de Janeiro de 2010


7 comentários:

batista disse...

a força necessária, a sensibilidade imprescindível nas palavras para que possamos encarar o ano que se inicia.

grato pela partilha, de coração.

deixo um abraço fraterno e saudoso.

jrd disse...

Que o plano inclinado que se segue à esquina dos dias, aponte ao "céu", sem a pedra de Sísifo.
Um abraço para 2010.

Mar Arável disse...

Dobremos a esquina

Bjs

Licínia Quitério disse...

Belo texto.

Que a esquina seja dobrada e a subida triunfante, apesar de toda a loucura que perpasse as horas e os olhares.

Bom ano!

Teresa Durães disse...

infelizmente é tão verdade e difícil de ultrapassar esse plano inclinado. Resta sempre o tempo onde é possível dobrar a tal esquina, esperando que nunca mais se regresse atrás. Bom ano

heretico disse...

... e no entanto,

um grãozinho de loucura faz falta, por vezes, para dobrar a esquina...

gostei muito

beijo

maria manuel disse...

o sofrimento é sempre uma solidão, em solidão. e a saída também. como exprimes isso bem!