quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Sem título


Retirei aos dias as horas
na ausência libertei-me


esfumei-me no infinito.


HFM - Lisboa, 14 de Novº de 2009



8 comentários:

Teresa Durães disse...

Sabe tão bem esse infinito. Gostei bastante!

Ad astra disse...

infinitamente...

esfumar-se!

O Micróbio II disse...

Não te esfumes demasiado... :-)

maria manuel disse...

às vezes, precisamos desse infinito, dessa aus~encia rigorosa das horas.
mas como diz, Micróbio, não te esfumes de nós...

beijo.

jrd disse...

O tempo depurado,etéreo.

Simone Huck disse...

"esfumei-me no infinito"... como seria a imagem disto?
O silêncio cala a palavra que não se ousou dizer.
Lindo.

Graça Pires disse...

A ausência das horas. Como se a ausência do tempo nos desse asas...
Um beijo, Helena.

heretico disse...

(a)temporal-assim o brilho das estrelas!

beijo