segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Com um obrigada


Os olhos de Vincente

Que não havia música nos teus olhos
só dois pontos verdes, azuis, roxos
debaixo da sombra das pálpebras

Era aí que guardavas as telas
que deslumbravas com o trigo
o negro dos corvos

É o que sabemos agora, face aos despojos
da tua vida

Não havia música nos teus olhos
só sombras nos lábios
Era aí que pintavas a cor da tua morte
Rústica sobre as searas.

poema da autoria de J.T.Parreira


5 comentários:

Mïr disse...

Um poema com pintado com arte.

Graça Pires disse...

Que belo poema dedicado a Van Gogh.
Um beijo Helena.

Teresa Durães disse...

lindo poema

mariab disse...

Lindíssimo, o poema que partilhas. Toca-me particularmente a referência a Van Gogh, um dos meus pintores de eleição. Beijos

Anónimo disse...

uma Preciosidade.



Beijo-te H.





(piano)