sábado, 10 de janeiro de 2009

Do diário




Hoje de manhã as Conchas pareciam um conto feérico saído de qualquer ilustração inglesa. Os canais de água estagnados por uma camada de gelo. As ripas de madeira que os ladeiam estavam cobertas com um intermitente manto branco de cristais de gelo. A erva semeada de um branco queimado. O frio cortava a pele e a cabeça estalava. Só os passos cumpriam presságios e enquadravam-se na envolvência. Não havia lucubrações. Só o grito dos passos rangendo o gelo e silenciando o frio que sonhava com a casa.

Do alto, as árvores sorriam.


HFM - 9 de Janeiro de 2009

16 comentários:

blue disse...

um belo texto, Helena, uma boa maneira de eu começar o dia.

obrigada.

M. disse...

Cenários raros e a guardar sempre. que um dia qualquer, os dias frios também irão rarear.

jrd disse...

Magníficas, as palavras quentes na manhã fria e mágica.
bfs
Abraço

Licínia Quitério disse...

A beleza crua do frio. Bonito texto.

addiragram disse...

Tiveste uma sorte dos diabos! Pelos meus lados, o frio havia, mas essa magia faltava!
Bonita foto; com palavras feéricas!

vida de vidro disse...

Souberam-me a calor as tuas palavras. O que é óptimo neste dia gelado. Há uma especial pureza no frio. **

heretico disse...

excelente descrição. sente-se na pele. geada.

(apesar de conforto da noite)

beijo

Isabel José António disse...

Cara Amiga Ana,,

Esta sua descrição está magnífica. Parece que sentimos o vento frio a "cortar-nos" as orelhas e o gelo nos sapatos. Muitos parabéns.

Estas fotos e todas as outras que se conseguem obter de paisagens com gelo e neve são duma beleza feérica, como diz.

No entanto, esta frequência de queda de neve, num país que anteriormente quase só no Norte se fazia sentir, é um indicativo da mudança das condições atmosféricas, devida à actividade humana.

Muito obrigado pela sua visita ao Poesia Viva. Não quererá também dar uma espreitadela aos outros blogs, nomeadamente ao Observatório O Caminho do Coração? Experimente.

Um grande abraço

José António

ângela marques disse...

Tinha saudades desta linha no meu horizonte.

mariab disse...

A pura beleza do gelo. E das tuas palavras. Beijos

mfc disse...

O texto que me permitiu ver e sentir esse dia.

delusions disse...

Bom ano*

~pi disse...

tenho a neve na língua e

às vezes

no

coração

(a cor é muda

e por vezes

derrete (se,



~

Ad astra disse...

eu também sorrio

com a fotografia, com as tuas palavras...

e aqui, nos meus 18º, senti um arrepio

Um beijinho para te aquecer

bettips disse...

Apetece sair assim pelas pétalas dos lírios
entrelaçados no caminho.
E respirar olhando as copas iluminadas de nuvem.
Lindo, como o contas...
Bjinho

maria m. disse...

gostei de ler este «diário».